| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

O CANGAÇO EM FOCO
Desde: 28/02/2011      Publicadas: 854      Atualização: 09/11/2013

Capa |  ARTE & CULTURA DO CANGAÇO  |  ARTIGOS DE OUTROS AUTORES  |  CORDEL E POESIA SERTANEJA  |  CRÔNICAS  |  DESTAQUES  |  ESTUDOS SOBRE O CANGAÇO  |  EVENTOS SOBRE O CANGAÇO  |  GUERRAS ADJACENTES AO CANGAÇO  |  HISTÓRIA DO CANGAÇO  |  HISTÓRIAS SERTANEJAS  |  JORNALISMO & CANGAÇO  |  LITERATURA & CANGAÇO  |  LIVROS A VENDA  |  MEUS ARTIGOS  |  MEUS COMENTÁRIOS  |  MULHERES NO CANGAÇO  |  NAS ANDANÇAS DO MEU LIVRO  |  PERSONAGENS DA ÉPOCA  |  TEXTOS DA ÉPOCA DO CANGAÇO


 JORNALISMO & CANGAÇO

  10/12/2011
  0 comentário(s)


A influência estética de Lampião.

MÃO NA MASSA
Lampião costurando numa máquina Singer:

A influência estética de Lampião.
REVISTA ISTO É . N° Edição: 2139 | 05.Nov.10 - 21:00 |

A influência estética de Lampião.

A roupa colorida e ricamente decorada do cangaceiro servia de patente hierárquica no bando, despertava admiração na população e era copiada até pela polícia.

Wilson Aquino


A simples menção ao nome de Lampião fazia tremer o cabra mais macho do Nordeste. Virgulino Ferreira da Silva, seu nome de batismo, aterrorizou o sertão, entre 1916 e 1938, com seu bando que contava 200 homens. Nos sete Estados da Federação onde a lei parecia ausente e a polícia, chamada de Volante, cometia excessos, Lampião e sua gangue justificavam seus assassinatos, degolas, estupros e assaltos com supostas bandeiras sociais e, assim, conseguiam angariar alguma simpatia da população pobre. Mas, quando não estava praticando crimes, o cangaceiro se atracava com agulhas e linhas para costurar e bordar, lindamente, roupas, revestimentos para cantil, cinturões, bornais (espécie de bolsa) e os lenços que usava ao estilo Jacques Leclair, o protagonista costureiro da novela global "Ti-ti-ti". Seu sanguinolento bando exibia uniformes bordados com flores, estrelas e símbolos místicos. Embora cause estranheza, este apuro estético tinha uma finalidade: servia para despertar admiração entre a população e, também, como patente hierárquica do bando. Lampião acreditava ainda que alguns símbolos blindavam seus homens contra maus espíritos.

O lado excêntrico e quase marqueteiro do famoso bandoleiro emerge pelas mãos de uma das maiores autoridades brasileiras em cangaceiros, o historiador Frederico Pernambucano de Mello, "o mestre dos mestres quando o assunto é cangaço", como dizia o antropólogo Gilberto Freyre. Mello acaba de lançar o livro "Estrelas de Couro " A Estética do Cangaço" (Escrituras, 258 págs.), no qual mostra que, ao impor um estilo próprio de vestuário, Lampião incutia os valores do cangaço aos homens do seu bando e estabelecia a diferença entre a sua tropa e os "outros." Lampião, aliás, odiava ser confundido com cangaceiros comuns. A força da roupagem luxuosa que ele criara " e incluía metais e até ouro, além de moedas e espelhinhos ", chegou a influenciar as vestimentas dos policiais. Antes de costurar, ele pegava um papel pardo e desenhava, depois levava o papel para a máquina Singer e cobria o tecido. "Ele não era apenas o executor do bordado. Era também o estilista", afirma Mello.

"No início, a moda era ofício masculino", garante a professora de história da indumentária e antropologia da moda Silvia Helena Soares, da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ). Ela vê nas criações de Lampião um estilo de moda que remonta à época do Renascimento (século XVI), quando os homens bordavam as joias na própria roupa. "Era tudo grandão, pesado. Não tinha nada de delicadinho", afirma. Para o historiador Luiz Bernardo Pericás, autor de "Os Cangaceiros: Ensaio de Interpretação Histórica", os uniformes dos cangaceiros ficaram tão enfeitados que pareciam fantasias. "Era um dos aspectos da extrema vaidade daqueles bandoleiros", diz Pericás. Lampião aprendeu a manejar a linha e a agulha muito antes de tomar gosto pelo rifle. Quando menino, quase adolescente, Virgulino fazia tecidos de couro muito bem ornamentados, resistentes e esteticamente valiosos para vender nas feiras. "Era famoso como alfaiate de couro", afirma o historiador Mello. Ele foi parar no crime porque sua família se envolveu numa guerra com fazendeiros vizinhos. Dizem que era tão hábil com a espingarda que conseguia dar tiros consecutivos que clareavam a noite. Daí a alcunha de Lampião.

O Rei do Cangaço morreu aos 40 anos, em 1938, junto com a fiel companheira, Maria Bonita " que, igualmente, andava coberta de roupas, chapéus, cintos e bolsas bordadíssimas. O casal e nove homens do bando foram decapitados e as cabeças expostas como troféus pela polícia nas escadarias da igreja de Piranhas, em Alagoas. Ali, foram fotografadas ao lado de objetos preciosos do grupo, como espingardas e cartucheiras, além de outras armas de Lampião: duas máquinas de costura Singer, o sonho de todas a donas de casa da época. Se tivesse escolhido a profissão de costureiro, Lampião (até hoje cons­tantemente revisitado pela indústria fashion) certamente teria tido uma carreira brilhante.
  Web site: http://www.istoe.com.br/reportagens/109496_A+INFLUENCIA+ESTETICA+DE+LAMPIAO  Autor:   REVISTA ISTO É . N° Edição: 2139


  Mais notícias da seção DOCUMENTÁRIOS no caderno JORNALISMO & CANGAÇO
06/12/2011 - DOCUMENTÁRIOS - A SAGA DO CANGACEIRO RIO PRETO
- Este artigo é dedicado ao amigo Antônio Ferreira da Silva Neto, que em breve vai receber no seu lar um presente de Deus.Casa de Detenção do Recife, início do século XX - http://www.ibamendes.com/...
25/11/2011 - DOCUMENTÁRIOS - AS MARCAS DA PASSAGEM DE LAMPIÃO " A HISTÓRIA DA CAPELINHA DA SERRA DA VENEZA
Capela da Serra da Veneza - Foto - Rostand Medeiros...
31/10/2011 - DOCUMENTÁRIOS - Vários textos em homenagem ao Jornalista LAURO DA ESCOSSIA.
Lauro da Escóssia foi responsável pelo maior furo de reportagem da história do Rio Grande do Norte...
17/07/2011 - DOCUMENTÁRIOS - Guerra contra Lampião.
Em uma casa coberta de telha, em Delmiro Gouveia, sertão alagoano, vive a agricultora Aristéia Soares de Lima. Com vestido longo roxo, usado sempre durante as visitas, a mulher miúda e esforça para conversar. Ela se recupera de um problema nas articulações, que a levou ficar internada por uma semana....
02/06/2011 - DOCUMENTÁRIOS - Complô de Mossoró
Defesa de Mossoró a partir da casa de Rodolfo FernandesReproduzimos a espetacular entrevista do historiador potiguar Marcos Pinto, prestada ao blog honoriodemedeiros; vale ressaltar a luz que ainda precisa ser fortalecida a cerca do ataque de Virgulino a Mossoró. Parabens ao amigo Honório e a Marcos Pinto pela oportuna entrevista....
26/05/2011 - DOCUMENTÁRIOS - O cangaço desmistificado
CulturaLivro analisa a história do fenômeno do banditismo que assolou o nordeste brasileiro...
18/05/2011 - DOCUMENTÁRIOS - Aos 99 anos, irmã de Lampião recebe visita de parentes em SP
Aos 99 anos, irmã de Lampião recebe visita de parentes em SPFoto: G1...
13/05/2011 - DOCUMENTÁRIOS - O espelho de Lampião
A pesquisadora francesa Elise Grunspan-Jasmin analisa em entrevista ao O POVO a construção da imagem de Lampião através das fotografias publicadas na imprensa da época...
13/05/2011 - DOCUMENTÁRIOS - Entre mitos
Moradora de Entremontes, em Alagoas, dona Maria do Carmo construiu uma capela para Padre Cícero às margens do cenário da morte de Lampião(Foto: EVILÁZIO BEZERRA)...
19/03/2011 - DOCUMENTÁRIOS - Morre o ex-cangaceiro Moreno, aos 100 anos
Nasceu em 01 de novembro de 1909 - Faleceu em 06 de setembro de 2010João de Souza Lima - do livro: Moreno e Durvinha, sangue, amor e fuga no cangaço...



Capa |  ARTE & CULTURA DO CANGAÇO  |  ARTIGOS DE OUTROS AUTORES  |  CORDEL E POESIA SERTANEJA  |  CRÔNICAS  |  DESTAQUES  |  ESTUDOS SOBRE O CANGAÇO  |  EVENTOS SOBRE O CANGAÇO  |  GUERRAS ADJACENTES AO CANGAÇO  |  HISTÓRIA DO CANGAÇO  |  HISTÓRIAS SERTANEJAS  |  JORNALISMO & CANGAÇO  |  LITERATURA & CANGAÇO  |  LIVROS A VENDA  |  MEUS ARTIGOS  |  MEUS COMENTÁRIOS  |  MULHERES NO CANGAÇO  |  NAS ANDANÇAS DO MEU LIVRO  |  PERSONAGENS DA ÉPOCA  |  TEXTOS DA ÉPOCA DO CANGAÇO
Busca em

  
854 Notícias