| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

O CANGAÇO EM FOCO
Desde: 28/02/2011      Publicadas: 854      Atualização: 09/11/2013

Capa |  ARTE & CULTURA DO CANGAÇO  |  ARTIGOS DE OUTROS AUTORES  |  CORDEL E POESIA SERTANEJA  |  CRÔNICAS  |  DESTAQUES  |  ESTUDOS SOBRE O CANGAÇO  |  EVENTOS SOBRE O CANGAÇO  |  GUERRAS ADJACENTES AO CANGAÇO  |  HISTÓRIA DO CANGAÇO  |  HISTÓRIAS SERTANEJAS  |  JORNALISMO & CANGAÇO  |  LITERATURA & CANGAÇO  |  LIVROS A VENDA  |  MEUS ARTIGOS  |  MEUS COMENTÁRIOS  |  MULHERES NO CANGAÇO  |  NAS ANDANÇAS DO MEU LIVRO  |  PERSONAGENS DA ÉPOCA  |  TEXTOS DA ÉPOCA DO CANGAÇO


 PERSONAGENS DA ÉPOCA

  02/07/2012
  0 comentário(s)


Manoel Flor, o Guerreiro do Bem

Tem muita coisa que o tempo
Carrega, leva e não trás
Mas algumas sobrevivem,
Ninguém esquece jamais,
Falemos do Coronel
Manoel de Souza Ferraz.

Manoel Flor, o Guerreiro do Bem
Manoel Flor, o Guerreiro do Bem
Por:Junior Vieira


Tem muita coisa que o tempo
Carrega, leva e não trás
Mas algumas sobrevivem,
Ninguém esquece jamais,
Falemos do Coronel
Manoel de Souza Ferraz.

Mil novecentos e hum,
A vinte de fevereiro,
Fazenda Campo da Ema
Nasce o nobre brasileiro
E Floresta perfumando
O berço desse guerreiro!

João de Souza Nogueira,
O seu genitor de fé
Era subdelegado
Da Vila de Nazaré
E Dona Angélica Teodora
Sua estimada mulher.

Para dar sorte ao menino,
Seu João Nogueira botou:
"Manoel de Souza Ferraz",
O mesmo nome do avô,
E Florência Felismina
de Sá, era a vovó "Flor"!

Vamos falar da criança,
Abençoado menino
Que cumprindo a profecia
Ou capricho do destino,
Começa o aprendizado
Onde estudou Virgolino!

Veja só como é a vida,
Como o destino é profano,
Dividiram brincadeiras,
Era um viver mano a mano,
Mesma escola e professor
Mestre Domingos Soriano.

Com certeza essas crianças
Nesses encontros frequentes,
Nem podiam imaginar
Que depois de independentes
Tornariam-se rivais
Por caminhos diferentes.

Manoel segue o caminho
Em defesa da moral,
Da honra do sertanejo;
Lampião compra punhal,
Bala, fuzil, mosquetão
E segue o caminho do mal!

Mas vamos voltar no tempo,
De jegue e de pangaré,
Era o transporte que havia
Pra ninguém andar a pé...
Manoel aos dezesseis anos
Já fundava Nazaré!

Aí Manoel Flor tornou-se,
Pelo seu idealismo,
Respeitado e conhecido
Pelo seu grande heroismo,
Por sua luta incansável
Pra acabar o banditismo.

Foram mais de vinte lutas
Durante o "Ciclo Cangaço";
Destemido como nunca,
Não demonstrava cansaço...
"Comando Forças Volantes"
Tinha as rédeas do seu braço.

Foi um bom estrategista,
Jamais perdeu uma luta,
E no combate ferrenho,
Com destreza absoluta
Enfrentando o banditismo,
Um grupo de má conduta!

Dedicou a sua vida
Combatendo a tirania,
Malfeitores, cangaceiros,
Pelo sertão da Bahia,
No "Raso da Catarina",
Com sua força bravia.

Aproveitando o momento
Vou falar de cada irmão:
Luiz, Américo, Hidelbrando,
Euclides, Odilon, e então
Ildefonso, assassinado
Pelo bando de Lampião.

Pela paz e harmonia
É ele um homem lendário,
Símbolo de dignidade,
Justiça foi seu diário...
Assim Manoel Flor tornou-se
Um nome tão legendário!

Foi Prefeito de Floresta,
Um grande pesquisador,
Sempre semeando a paz,
Era também escritor...
Medalha de Honra ao Mérito
Ao Coronel Manoel Flor!

Medalha de Classe Ouro
Pelo serviço prestado
Pernambuco lhe concede
Pelo que fez no Estado...
Ao homem mais atuante,
Ilustre e abnegado.

Coronel Manoel de Souza
Ferraz, foi um grande irmão
Que mesmo de armas em punho
Só brigou por união,
Erguendo a flâmula da paz,
Virou símbolo da nação.

Suas lutas, seus combates
Contra o atroz cangaceiro,
Pelo seu grande heroismo
Tornou-se um homem altaneiro,
Orgulho de Pernambuco,
Legado pro mundo inteiro.

Esse eterno timoneiro
Produziu feitos sagrados,
Conquistou seu ideal
Comandando os seus soldados
No encalço dos bandidos
Deixando-os então dizimados.

Mesmo fazendo resumo
Não tem "porquê" nem "talvez",
É impossível falar
De tudo o quanto ele fez,
O Brasil muito agradece
Por sua eterna altivez.

Protegendo e defendendo
As pessoas indefesas,
Comandou Corpo de Guardas
No Palácio das Princesas,
Clube dos Oficiais
Outra de suas proezas.

E enquanto comandava,
Fez atuação maciça,
Ele integrou o Conselho
Permanente de Justiça
Militar de Pernambuco,
E, sem nenhuma cobiça.

Primeira Missa em Floresta
Oferecida ao vaqueiro,
Na Vila de Nazaré
Foi esse bom brasileiro
Que tudo idealizou
Sem ganância no dinheiro.

Foi Delegado em Pesqueira,
Graças a Deus teve sorte,
Sua força era divina
Lutando com braço forte
E alí também combateu
O Sindicato da Morte!

Era simples e educado,
E sobretudo querido,
Como civil, muito humano,
Um militar destemido
E pela sua honradez
Faz pena ele ter morrido.

Quisera Deus que nascessem
Muitos homens do seu jeito,
Com coragem e com decência,
De caráter e de respeito
E fizessem ao menos metade
Do que por ele foi feito!

Oh! Santo Deus, guarda ele,
Põe a tua santa mão
Na consciência do povo,
Dai-nos a abnegação
E a esperança de vê-lo
Na tua ressurreição!

Odilon e Euclides Flor

Porque sem a tua ajuda
A verdade é nua e crua,
A violência perdura,
Muito menino de rua,
E em muitos segmentos
O cangaço continua!

Décimo Quarto Batalhão
de Polícia nos apraz,
Fincado em Serra Talhada,
Tem o nome desse audaz
Guerreiro, forte e valente:
"Manoel de Souza Ferraz"!

Justiceiro pela paz
Um nome que eu sempre louvo,
Não deixem de aplaudir,
Insisto e peço de novo...
O Guardião do Estado,
Representante do povo!

Viva! Viva o Coronel,
Intrépido, batalhador,
Especialista nato,
Inquilino do labor...
Rezemos por vossa alma
A Jesus, o Redentor!

Porque sem a tua ajuda
A verdade é nua e crua,
A violência perdura,
Muito menino de rua,
E em muitos segmentos
O cangaço continua!

Décimo Quarto Batalhão
de Polícia nos apraz,
Fincado em Serra Talhada,
Tem o nome desse audaz
Guerreiro, forte e valente:
"Manoel de Souza Ferraz"!

Justiceiro pela paz
Um nome que eu sempre louvo,
Não deixem de aplaudir,
Insisto e peço de novo...
O Guardião do Estado,
Representante do povo!

Viva! Viva o Coronel,
Intrépido, batalhador,
Especialista nato,
Inquilino do labor...
Rezemos por vossa alma
A Jesus, o Redentor!
  Autor:   Junior Vieira


  Mais notícias da seção CORDEL no caderno PERSONAGENS DA ÉPOCA
23/07/2011 - CORDEL - José Pacheco.
Sinopse da vida e obra de um dos mestres do cordel....
23/07/2011 - CORDEL - MANOEL D'ALMEIDA FILHO.
"No sertão pernambucanoVeio ao mundo Virgulino,Antonio, João, Virtuosa,Ezequiel e Livino,Maria Analia e AngelicaNove irmãos num só destino"....



Capa |  ARTE & CULTURA DO CANGAÇO  |  ARTIGOS DE OUTROS AUTORES  |  CORDEL E POESIA SERTANEJA  |  CRÔNICAS  |  DESTAQUES  |  ESTUDOS SOBRE O CANGAÇO  |  EVENTOS SOBRE O CANGAÇO  |  GUERRAS ADJACENTES AO CANGAÇO  |  HISTÓRIA DO CANGAÇO  |  HISTÓRIAS SERTANEJAS  |  JORNALISMO & CANGAÇO  |  LITERATURA & CANGAÇO  |  LIVROS A VENDA  |  MEUS ARTIGOS  |  MEUS COMENTÁRIOS  |  MULHERES NO CANGAÇO  |  NAS ANDANÇAS DO MEU LIVRO  |  PERSONAGENS DA ÉPOCA  |  TEXTOS DA ÉPOCA DO CANGAÇO
Busca em

  
854 Notícias