| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

O CANGAÇO EM FOCO
Desde: 28/02/2011      Publicadas: 854      Atualização: 09/11/2013

Capa |  ARTE & CULTURA DO CANGAÇO  |  ARTIGOS DE OUTROS AUTORES  |  CORDEL E POESIA SERTANEJA  |  CRÔNICAS  |  DESTAQUES  |  ESTUDOS SOBRE O CANGAÇO  |  EVENTOS SOBRE O CANGAÇO  |  GUERRAS ADJACENTES AO CANGAÇO  |  HISTÓRIA DO CANGAÇO  |  HISTÓRIAS SERTANEJAS  |  JORNALISMO & CANGAÇO  |  LITERATURA & CANGAÇO  |  LIVROS A VENDA  |  MEUS ARTIGOS  |  MEUS COMENTÁRIOS  |  MULHERES NO CANGAÇO  |  NAS ANDANÇAS DO MEU LIVRO  |  PERSONAGENS DA ÉPOCA  |  TEXTOS DA ÉPOCA DO CANGAÇO


 TEXTOS DA ÉPOCA DO CANGAÇO

  01/10/2012
  0 comentário(s)


10 de agosto de 1927, no "Diario da Bahia"

A HORDA SINISTRA
A organização do bando de Lampeão
O ataque a Mossoró

10 de agosto de 1927, no 10 de agosto de 1927, no "Diario da Bahia"
A HORDA SINISTRA
A organização do bando de Lampeão
O ataque a Mossoró

Sabendo recentemente chegado do nordeste brasileiro, zona infestada pelos bandoleiros do famigerado Lampeão, o academico Raul Fernandes, filho do prefeito da cidade de Mossoró, fomos á sua residência, á Rua do Tijolo 21, no sentido de obtermos esclarecimentos sobre o recente assalto áquella próspera cidade pelos bandidos da trinca sinistra Lampeão " Sabino " Massilon, ora colligados para a consecução funesta do devastamento e inquietação do nordeste brasileiro.

Apresentados pelo seu collega Aurelino Navarro, recebeu"nos o academico Raul Fernandes,
amavelmente, e para logo se dispos a nos prestar todos os esclarecimentos precisos, offertando"nos tambem farta documentação photographica do que foi o assalto a Mossoró.

" Que pode nos dizer do assalto a Mossoró e da organização do bando de Virgulino?

" Desde que esta hora de vandalos vagueia pelos sertões nordestinos, disse o nosso entrevistado, é esta uma das coisas que mais desperta o interesse publico: saber da organização do bando, de como vivem e qual o seu ideal.

Durante a minha recente viajem de Natal para este porto, faziam"me a bordo, repetidamente estas perguntas.

Acho"me felizmente apparelhado para respondel"as, uma vez que conversei largamente com um dos bandoleiros, Jararáca, mortalmente ferido no ataqu a Mossoró.

A organização do bando é a mesma das sociedades primitivas. O chefe, capitão Virgulino, occupa este lugar porque (declaração de Jararáca), é o mais velho do grupo, o que tem mais dinheiro, o que melhor atira e o que "tem melhor tino no combate".

" Quaes os auxiliares de Lampeão?

" O seu lugar tenente é o Sabino Leite, seguido por Massilon, ambos 1°s Tenentes no bando. A seguir vêm Jararáca, (hoje morto), Colchete, (tambem morto), Az de ouro, Chá preto, Candieiro, Pinga"fôgo etc. Alguns destes appellidos de guerra partem de superstições como o de "Rio preto", nome de um celebre negro da Parahyba, malfeitor consummado e que todos acreditam piamente, "bala não lhe entrar no couro".

" Que nos diz do physico destes homens e do seu gráo de ferocidade?

" Todos são homens validos, apresentando os caracteres de audacia e menosprezo pela vida, que a penna fulgurante de Euclydes da Cunha tão bem plasmou na sua "Troya sertaneja" immortal.

Verdadeiramente selvagens, na sua marcha pelos sertões postam"se como acabados cannibaes na desvastação pavorosa de tudo que lhes entrave o passo.

" Qual a impressão que faz do bando o povo dos sertões?

" No nordeste a palavra Lampeão causa panico é pronunciada entre demonstrações de odio e pavor.

Durante os assaltos praticam os bandidos toda sorte de atrocidades. Matam, roubam, saqueiam, devastam: não respeitam as donzellas e até creanças têm sido sacrificadas.

Os soldados que lhes cáem nas mãos são sangrados impiedosamente.

" Como procedem para "requisições" de dinheiro?

Só aos chefes assiste o direito fazer taes requisições, e uma particularidade interessante dos combates é a seguinte.

Toda vez que tomba morto um dos bandidos é destacado um companheiro para tirar"lhe as armas. Foi assim que foi ferido Jararáca, quando vier, descoberto, ousadamente tirar as armas do seu camarada Colchete, morto durante o assalto.

" E a disciplina é solida entre os bandidos?

A não ser nos momentos do perigo não obedecem aos seus chefes, fazendo cada qual por si nas occasiões de saque e de pilhagem, quando praticam, como afiancei ha pouco, toda sorte de atrocidades.

Ao que nos consta, os bandidos usam um fusil mauser modelo 1908, arma privativa do exercito!
" Perfeitamente; usam deste typo de fusil, punhal longo, bornaes, e cartucheiras com capacidade para 100 balas. A roupa em geral é kaki; chapeu vistoso e alpercatas. São muito vaidosos dos seus trajes e quasi que o luxo das vestes é uma caracteristica da posição elevada que cada bandido occupa no grupo.

Jararáca quando foi preso trazia ricas alpercatas e meias de seda. Contou que fôra reservista do exercito e telegraphista por muitos annos.

" Sabe se os bandidos têm signaes que os orientem nos combates?

Sim, têm um corneteiro e usam uma especie de codigo, combinação de tiros repetidos ou espaçados que lhes indicam posição, proximidade do inimigo, etc. Quando em desncanço costumam contar suas façanhas e tambem dançar e canta o ccôco "Mulher rendeira", ao som de um realejo cujo côro é o seguinte:

"Ê mulhé rendeira

Ê mulhé rendá,

A volta de Lampeão

Crua é p"ra se daná..."

" A propósito, é verdade que padre Cicero protege Lampeão?

" É sabido e notorio isso e Jararáca, em seu depoimento, disse que quando o grupo opera no Ceará, abriga"se nas fazendas dos coroneis Souto e Ferraz e quando está no Pagehú seu refugio é a caatinga.
" Mas afinal qual o objectivo de Lampeão, qual o seu "ideal"?

" Narrou Jararáca que Lampeão declarava sempre que o dinheiro que adquiria era para comprar os officiaes das policias que o eprseguem e tambem pretende fazer a sua independencia, indo residir em Goyas. Alguns dos bandidos adheriram ao grupo por satisfazerem vinganças, outros por decidida propensão para o crime.

" E agora, quanto ao ataque a Mossoró?

" Minha cidade natal soffreu dias terriveis de angustiosa inquietação desde que recebeu o prefeito as cartas ameaçadoras do bandido exigindo 400 contos e avisando do proximo assalto. A cidade preparou"se como poude para a defesa, armando"se a população civil, retirando"se as familias e levantando"se trincheiras, como documentam as photogrphias que apresento. Chegou o dia do assalto e o rezultado foi a fuga dos bandoleiros abandonando um morto e um ferido, ficando varios delles perdidos no matto como soubemos depois.

" Soubemos que foi energica e efficaz, heroica mesmo a acção do Cel. Rodolpho Fernandes?!

" Sou suspeito para falar da acção de meu pae, ma so povo de Mossoró é testemunha de que elle soube cumprir o seu dever.

Estavamos satisfeitissimos com as declarações do jovem Raul Fernandes e demos por terminada a nossa entrevista, agradecendo"lhe a bôa vontade com que nos ouviu.

A titulo de curiosidade reproduzimos aqui o "ultimatum" de Lampeão ao prefeito de Mossoró, e a resposta deste:

"Cel. Rodolpho
Estando eu até aqui pretendo é dinheiro. Já foi um aviso ahi para o senhor, se por acauzo resolver mi a mandar me a importancia que nós pede Eu envito de Entrada ahí, porem não viado, esta importancia eu entrarei até ahi penso que Adeus querer eu entro e vai aver muito estrago, po isto se vir o dinheiro eu não entro ahi mais mande resposta logo.

Capm. Lampeão.

Virgolino Lampeão

Recebi o seu bilhete e respondo"lhe dizendo que não tenho a importancia que pede e nem tambem o Commercio O Banco está fechado tendo os funccionarios se retirado daqui. Estamos dispostos acarretar com tudo o que o Sr. queira fazer contra nós. A cidade acha se firmemente inabalavel na sua defesa confiando na mesma.

Rodolpho Fernandes
Prefeito

Postado por Rubens Antonio no Cangaço na Bahia em 9/30/2012 09:52:00 PM
  Autor:   Postado por Rubens Antonio no Cangaço na Bahia


  Mais notícias da seção LUTAS no caderno TEXTOS DA ÉPOCA DO CANGAÇO
01/10/2012 - LUTAS - 25 de janeiro de 1927, no "O Combate":
Papeis invertidosLampeão não depredou Limoeiro... Mas a força parahybana quasi arrasa tudo!Uma sensaccional entrevista com o prefeito daquella cidade.Fotografia de Lampeão e bando em Limoeiro...



Capa |  ARTE & CULTURA DO CANGAÇO  |  ARTIGOS DE OUTROS AUTORES  |  CORDEL E POESIA SERTANEJA  |  CRÔNICAS  |  DESTAQUES  |  ESTUDOS SOBRE O CANGAÇO  |  EVENTOS SOBRE O CANGAÇO  |  GUERRAS ADJACENTES AO CANGAÇO  |  HISTÓRIA DO CANGAÇO  |  HISTÓRIAS SERTANEJAS  |  JORNALISMO & CANGAÇO  |  LITERATURA & CANGAÇO  |  LIVROS A VENDA  |  MEUS ARTIGOS  |  MEUS COMENTÁRIOS  |  MULHERES NO CANGAÇO  |  NAS ANDANÇAS DO MEU LIVRO  |  PERSONAGENS DA ÉPOCA  |  TEXTOS DA ÉPOCA DO CANGAÇO
Busca em

  
854 Notícias